Oprofeta

Oprofeta

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Gota a gota


Gota a gota
Escorro pela vida
Até a velhice, cansada,
Me abraçar.

Vou ali, paro acola,
O tudo parece não se cansar.
E o tempo não deixa de passar,
Seca as lágrimas e os sorrisos,
Antes deste desabrochar.

De canção em canção
Vivo as paixões.
Amores e desamores,
Ilusões e desilusões
E o vento não para de soprar.

Gota a gota,
sou consumido pelo tempo,
Do vento só o lamento,
Que não para de lamentar
As velhas paixões.


De lembranças em lembranças,
Vivo a vida,
As dores e as feridas.
As saudades me morde,
Me socorre,
Velho estou perto da morte.

De sorriso em sorriso
Vivo as graças com medo das desgraças.
A velhice chega com o tempo
Que me consome gota a gota,
Até o meu enterro,
O desterro.


            #

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Descompasso


Sou,
Sem sentido,
Perdido,
Escondido,
Esquecido.

Deixado no tempo,
Jogado ao relento,
Sobejos,
Resto de beijos,
Solidão.

Destempero,
Desespero,
Amargura,
Ternura,
Doçura,
Não.

Esqueço,
Perco,
Passo,
Desisto,
Não insisto
Descompasso

       *